top of page

Vereadores criticam governo pelo arquivamento do projeto que incluiria cesta básica aos bombeiros




 


 


O município de Jaguariúna, foi palco de intensos debates e discussões políticas nas últimas semanas, após o arquivamento do Projeto de Lei Executiva 56/2023. O projeto, que inicialmente buscava oferecer cestas básicas como gratificação aos bombeiros locais, ganhou destaque após um pedido de inclusão dos policiais civis e militares.


 


A iniciativa para estender os benefícios da cesta básica aos profissionais da segurança pública surgiu a partir do requerimento apresentado pela jornalista Susi Baião ao Executivo municipal. O documento tinha como objetivo levar o assunto ao conhecimento dos vereadores de Jaguariúna, e contou com o apoio do delegado titular da cidade, Erivan Vera Cruz. Ambos enfatizaram a importância de reconhecer o trabalho árduo dos policiais.


 


O pedido de inclusão ganhou apoio dos vereadores durante uma audiência de comissão realizada há duas semanas, resultando no retorno do projeto ao Executivo. No entanto, na terça-feira (5), durante a sessão da Câmara de Vereadores, a notícia do arquivamento do projeto gerou críticas contundentes por parte dos legisladores.


 


O Vereador Zé Muniz expressou sua decepção e indignação: "Arquivar o projeto só porque pedimos para incluir os policiais militares e civis é uma vergonha. É desrespeito com nossos profissionais que lutam diariamente para nos proteger. Espero que o Executivo e o jurídico repensem e avaliem esse projeto."


 


A Vereadora Ana Paula Espina também demonstrou sua insatisfação: "É uma vergonha não votar 50 cestas básicas aos policiais. Quando precisamos de socorro, são eles que nos ajudam. A cidade não precisa só de festa, precisa de saúde e segurança."


 


O Vereador Tom Proêncio ressaltou a surpresa com a decisão do Executivo: "Quem retirou da pauta e arquivou o projeto foi o Executivo, nós vereadores fizemos a nossa parte. Um grande esforço desses policiais, infelizmente, nem sempre é valorizado pelo poder judiciário e pelo poder executivo."


 


O Vereador Walter Tozzi enfatizou a importância da igualdade: "Estamos vivendo um momento delicado, onde a criminalidade cresce a cada dia, e podemos valorizar os profissionais com igualdade, o mínimo que devemos fazer."



O Vereador Dr. Júnior expressou seu repúdio à decisão do Executivo e destacou a necessidade de reconhecer todos os profissionais da segurança pública: "Parece uma 'birra' devido a um 'não'. Todos trabalham, e por que fazer essa diferença entre bombeiros, militares e civis? Espero que o Executivo reavalie essa situação."


 


A decisão de reavaliar o projeto de cesta básica e beneficiar as instituições é um passo importante em direção ao reconhecimento do trabalho dos bombeiros, policiais civis e militares de Jaguariúna. Isso demonstra que a voz da comunidade e dos representantes eleitos pode ter um impacto significativo nas políticas públicas municipais.


 


A jornalista Susi Baião enfatizou a necessidade de reconhecer todos os profissionais da segurança pública: "Isso não acarretaria prejuízo ao município; pelo contrário, seria um gesto de reconhecimento para aqueles que se sacrificam em prol da nossa segurança. Os policiais militares tiveram o pró - labore cortado sem uma justificativa plausível pelo governo, e os policiais civis nunca tiveram um incentivo."


 


A discussão em Jaguariúna levanta questões importantes sobre a valorização dos profissionais que arriscam suas vidas para proteger a comunidade, destacando a necessidade de justiça e igualdade no reconhecimento de suas contribuições. Resta agora aguardar as próximas ações do Executivo e do poder jurídico em relação a este projeto, com o potencial de beneficiar não apenas os bombeiros, mas também os policiais militares e civis que atuam incansavelmente pela segurança da cidade.

コメント


bottom of page