top of page

Sargento da PM de Jaguariúna conta como prendeu um dos envolvidos na morte de policial rodoviário

“Acredito que fizemos o mínimo para o cabo Welton e sua família”. Essas foram as palavras do sargento Leandro Candido, do 1º Pelotão da Polícia Militar de Jaguariúna. Foi ele, juntamente com o cabo Bruno e o soldado Daniel, também da PM de Jaguariúna, que prenderam o primeiro envolvido na morte do policial rodoviário cabo Welton Santos, quando seguia para o trabalho. O crime que aconteceu em abril deste ano em Mogi Mirim, foi gravado por câmeras de segurança e gerou grande repercussão na região.




Soldado Daniel, Sargento Leandro e Cabo Bruno


Nossa equipe de reportagem conversou com o sargento Leandro que estava de folga quando recebeu a notícia.


'"Acordei com a triste notícia e fiquei acompanhando o desenrolar dos fatos, e enquanto tomava café com minha esposa, falamos sobre o policial, sua esposa e seus filhos. Decidi que iria para Mogi Mirim para ajudar na identificação e buscas dos autores. Minha esposa concordou, dizendo que: “queria que alguém pensasse assim, como se o fato tivesse acontecido com nossa família”. Assim, fiz contato com o cabo Bruno e soldado Daniel, “perguntei a eles se podiam entrar mais cedo no serviço e compor a equipe comigo para a triste missão e assim foi feito", contou o sargento.


“Já no caminho para Mogi Mirim fomos colhendo informações de possíveis autores e locais que poderiam estar escondidos. Chegando na cidade, efetuamos algumas diligências, colhemos informações e chegamos até a casa da mãe de um dos autores que foi encontrado e detido pelo latrocínio e também por tráfico de drogas, pois com ele foi encontrado 54 flaconetes de cocaína”, explicou o sargento.



Segundo o policial, o suspeito, já preso, assumiu que estava traficando para levantar dinheiro e fugir da cidade e indicou onde estaria a chave da motocicleta roubada do militar. Além disso informou aos PMs o coautor do latrocínio explicando toda a dinâmica com que os fatos ocorreram. Diante disso, ele foi preso por homicídio e tráfico de drogas e levado para a Delegacia de Mogi Mirim.


O sargento destacou a importância da união entre as forças policiais. "Houve uma união entre a Polícia Militar, Guarda Municipal, Polícia Civil e outras instituições na busca dos suspeitos", afirmou. No outro dia, após a repercussão da prisão do parceiro, o outro envolvido se entregou.


Agilidade


"A rapidez, a experiência e o comprometimento com que esses agentes trabalharam para esclarecer o caso foi fundamental para a captura do suspeito e prisão do acusado. O cabo Welton era policial há 13 anos, muito querido e respeitado por sua conduta na PM Rodoviária," concluiu um amigo da família.



O Crime


No dia 21 de abril na cidade de Mogi Mirim, o Policial Rodoviário cabo Welton Santos Sobrinho Silva, de 39 anos, seguia para o trabalho quando foi assaltado e assassinado com um tiro na cabeça por dois criminosos. Ele teve a moto, celular e arma levados. Foi socorrido, mas não resistiu. Um crime bárbaro que revoltou não só os amigos de farda como toda a população. Ele deixou esposa e dois filhos de 11 e 16 anos.


Reportagem: Susi Baião

Fotos: Susi Baião

Comments


bottom of page