top of page

Reviravolta no caso do homem com Síndrome de Down agredido, polícia descarta estupro e prende um



A Polícia Civil de Jaguariúna pediu a prisão temporária de um comerciante de 27 anos, suspeito de ser o agressor do homem portador de Síndrome de Down. Ele foi detido nesta quinta-feira (2) e vai ficar 30 dias à disposição da Justiça. A vítima continua internada em estado grave no Hospital Puc-Campinas.


O caso aconteceu na noite de segunda-feira (27), na Rua Amazonas, próximo ao Hotel Jaguari, em Jaguariúna, e ganhou grande repercussão da mídia e dividiu opiniões, já que a suposta adolescente estuprada não foi identificada e nem compareceu para registrar a queixa na delegacia.


PRIMEIRA VERSÃO


A primeira versão apresentada pelo suposto agressor na polícia, foi de que o mesmo teria agredido a vítima após ter presenciado o homem tentando estuprar uma adolescente e a agressão teria ocorrido no momento em que ele (o agressor), tentava salvar a menina do suposto estuprador.


"O rapaz estava com as calças arriadas, tentando estuprar a menina, no momento em que ele levantava a saia da mesma para consumar o estupro. Um deles foi em socorro da vítima, deu um soco no suspeito para fazê-lo soltar a adolescente, momento em que ele caiu no chão e bateu a cabeça", disse ele para a polícia .


INVESTIGAÇÃO


Com base nas investigações sobre a tentativa de estupro, segundo delegado titular de Jaguariúna, Erivan Souza Cruz, as investigações apontam que não houve e que o suposto autor das agressões teria combinado com um menor de 17 anos para dar um corretivo na vítima, por conta de desavenças anteriores.


A vítima teria furtado uma bebida no comércio do agressor e ao sair dado um esbarrão na namorada dele o que motivou o crime. Ainda segundo o delegado, a investigação apurou que o autor e o adolescente praticaram as agressões com um taco de beisebol de metal e que a vítima também recebeu vários chutes na cabeça.


Em seu depoimento o adolescente disse que o autor ainda, repassava seu veículo locado, para que o mesmo efetuasse corrida de aplicativos e que já havia participado de outros atos ilícitos, a pedido do agressor.


O comerciante foi preso e indiciado pelos crimes de tentativa de homicídio qualificado, corrupção de menores, falsa comunicação de crime e entrega de veículo à pessoa não habilitada, e permaneceu preso, à disposição da justiça.


No dia dos fatos, nossa equipe de reportagem foi procurada por uma pessoa que se apresentou como testemunha e, hoje, segundo a polícia, foi identificado como sendo um dos agressores.


Para a reportagem, ele contou a mesma versão dada para a polícia e que tinha mais testemunhas que poderiam confirmar. Outro fato que não achava justo o rapaz ter ajudado a adolescente e responder por tentativa de homicídio. Este canal, combinou então a gravação de uma entrevista para o dia seguinte, mas ele não atendeu mais nossas ligações.

Delegado Erivan Vera Cruz


VESTIBULAR-2024_Bastidores-Noticia_VESTIBULAR-2024_300x600 (1).jpg
unnamed (1).jpg
bottom of page