top of page

Polícia investiga se casal carbonizado em Mogi Mirim é resultado de feminicídio seguido de morte




Um trágico incidente chocou a cidade de Mogi Mirim, na noite dessa quarta-feira (12), quando um casal foi encontrado morto com o corpo carbonizado numa residência no Jardim do Lago. A polícia civil está conduzindo a investigação para determinar se foi um caso de feminicídio, no qual o homem teria matado a esposa antes de atear fogo na casa e tirar a própria vida.


As vítimas foram identificadas como Gabrieli Cristina Batista da Silva, de 25 anos, uma manicure, e Luiz Gustavo da Silva, de 32 anos, um coletor de lixo. Segundo informações preliminares, o casal estava enfrentando conflitos e vivia em constantes desencontros.


O incidente foi descoberto por vizinhos que perceberam o incêndio na casa, localizada na rua Arthur Juliani, e acionaram os Bombeiros Civis Municipais.

As chamas foram contidas pelos bombeiros, com a ajuda de vizinhos.

Ao entrar na residência, eles encontraram o corpo de Luiz Gustavo enforcado com um fio no quarto. Ao lado da cama, o corpo de Gabrieli estava enrolado em um lençol.


A suspeita inicial é de que o homem cometeu feminicídio seguido de suicídio, já que o local indica que ele teria matado a mulher, incendiado o imóvel e, em seguida, tirado sua própria vida.


Peritos do IC (Instituto de Criminalística) foram acionados e periciaram o local. Moradores próximos e familiares afirmaram que as brigas eram constantes entre o casal.

A Polícia Civil conduziu o inquérito sobre a morte de Gabrieli, incluindo a motivação por trás do incidente. A hipótese de feminicídio será minuciosamente examinada, buscando esclarecer as circunstâncias que levaram a esse trágico desfecho para o casal. A comunidade local está profundamente abalada por esse acontecimento.


Reportagem: Susi Baião

VESTIBULAR-2024_Bastidores-Noticia_VESTIBULAR-2024_300x600 (1).jpg
unnamed (1).jpg
bottom of page