top of page

No Limite: Falta de água em Jaguariúna torna-se insustentável; população clama por medidas e prefeitura define ações para minimizar os impactos no abastecimento



Em meio a uma onda intensa de calor, os moradores de Jaguariúna têm enfrentado um desafio cada vez mais insustentável: a falta de água na cidade. Bairros como 12 de Setembro, Capela Santo Antônio e Florianópolis têm enfrentado esse problema nos últimos seis dias consecutivos, colocando em evidência uma situação alarmante para a população.


"A falta de água em Jaguariúna é desumana. Em um calor insuportável, você trabalha o dia inteiro, chega em casa e não tem uma gota de água na torneira. Não temos água nem para tomar um banho, lavar louça, cozinhar, ou lavar roupa. É uma falta de respeito com a população. Nós pagamos nossos impostos e isso não é de hoje que acontece", desabafou uma moradora do bairro 12 de Setembro.


Outra situação preocupante é a qualidade da água quando ela chega. Além de ser em pouca quantidade, muitos relatos indicam que a água está turva e com forte odor de cloro.


Outra reclamação dosm oradores é a falta de comunicação. Apesar das constantes reclamações, os telefones do Departamento de Água e Esgoto (DAE) não têm sido atendidos. "Não adianta ligar, eles não atendem", afirmou um morador.


Questionada sobre as reclamações dos munícipes em relação ao DAE, a prefeitura afirmou que os telefones estão ativos. No entanto, nossas tentativas de contato através dos números fornecidos pela prefeitura (38374577 e 3867 4226) tanto na semana passada quanto esta semana, não foram bem-sucedidas, pois ninguém atendeu.


Reunião do Conseg


No último dia 4 de março, durante a reunião do Conselho de Segurança (Conseg), o secretário de Meio Ambiente de Jaguariúna, Matheus Ranzani Herrmann, deveria ter comparecido para discutir a falta de água e as medidas para solucionar o problema. Apesar de confirmar sua participação, o secretário não apareceu nem deu explicações sobre sua ausência, o que deixou a população indignada com a falta de comprometimento e respeito.

Audiência Pública


Diante dessa situação crítica, a Comissão de Meio Ambiente da Câmara de vereadores, composta pelos vereadores Wanderley Filho, Menezes e Zé Muniz, marcou uma Audiência Pública para o dia 5 de abril, às 18h, na Câmara Municipal de Jaguariúna. O tema em discussão será a falta de água no município, e a audiência estará aberta à população. Resta saber se o secretário de Meio Ambiente comparecerá.


Ação Popular


O advogado Alex Sander Ribeiro entrou com uma "Ação Popular" no Fórum de Jaguariúna. O objetivo dessa ação é cobrar prestação de contas em relação à crítica escassez de água que afeta a cidade. Na ação, ele levanta questões sobre a gestão dos recursos hídricos na cidade, exigindo transparência e responsabilidade por parte das autoridades competentes. O Ministério Público solicitou cópias e a extração dos autos para análise, visando tomar as medidas cabíveis diante da situação.


O que diz a Prefeitura


A Prefeitura de Jaguariúna definiu novas ações para minimizar os impactos no abastecimento de água na cidade com a nova onda de calor e o aumento no consumo nos últimos dias, a exemplo do que acontece também em outros municípios da região.


Em reunião na tarde desta segunda-feira, dia 18 de março, ficou definida a intensificação do abastecimento dos reservatórios com caminhões-pipa nas regiões que apresentam maior vulnerabilidade hídrica no momento. Participaram da reunião a vice-prefeita, Rita Bergamasco, e os secretários de Gabinete, Maria Emília Peçanha de Oliveira; de Governo, Valdir Parisi; de Negócios Jurídicos, Fabiano Urbano, e de Meio Ambiente, Matheus Ranzani Herrmann.


A Prefeitura de Jaguariúna está dobrando o volume de investimentos em melhorias do sistema de abastecimento de água do município. O Município já investiu mais de R$ 20 milhões no setor nos últimos três anos e este ano vai investir mais R$ 20 milhões. Esses investimentos já estão em fase de contratação.


Os recursos serão usados para realizar a troca da rede da Avenida Pinto Catão, Rua Maranhão e região do Florianópolis, com o objetivo de reduzir as perdas de água nas tubulações defasadas, que chegam a mais de 40%.


Também está em fase final de construção a Estação de Tratamento de Água (ETA) 6, que, juntamente com a ETA – já entregue e em funcionamento – amplia em mais de 60% a capacidade de abastecimento de Jaguariúna, com 300 litros por segundo, suficientes para abastecer uma cidade de mais de 100 mil habitantes.


A população de Jaguariúna aguarda por medidas concretas que possam resolver essa crise de abastecimento de água, que afeta diretamente a qualidade de vida e a rotina dos cidadãos.

Comments


bottom of page