top of page

Fantasma, apontado como chefe do tráfico do PCC em SP, é preso com a esposa em Santa Catarina



André Luís da Silva Ribeiro, conhecido como "Fantasma", uma das figuras mais procuradas no mundo do crime no estado de São Paulo, foi capturado juntamente com sua esposa, Priscila Câmara Gregório, em uma operação conjunta realizada na última segunda-feira (4), em Santa Catarina.

As autoridades do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de São Paulo e Santa Catarina, com o apoio das Polícias Militares dos dois estados, conseguiram prender o casal em um apartamento na cidade de Florianópolis.


O Fantasma, de 37 anos, era apontado como o chefe do tráfico de drogas do Primeiro Comando da Capital (PCC), uma das organizações criminosas mais poderosas e violentas do Brasil. Sua esposa, Priscila, também era considerada parte da estrutura do PCC, conhecida nas redes sociais como "Aysha Silva". Com a prisão do casal, a polícia apreendeu um veículo de luxo, sete telefones celulares e diversos documentos, incluindo um falso.


A caçada ao Fantasma se estendia desde o início de dezembro de 2022, quando o Gaeco deflagrou a primeira fase da Operação Onça Preta, visando desarticular o tráfico de drogas na região de Jaguariúna.. Na época, ele conseguiu escapar do cerco policial e permanecia foragido até a sua prisão em Santa Catarina.


Segundo informações do Gaeco de Campinas, André Luís da Silva Ribeiro e a mulher utilizavam subordinados para promover o transporte, manutenção em depósito, guarda, preparo e distribuição de drogas, visando o abastecimento de pontos de tráfico em várias regiões do interior de São Paulo. Além disso, Fantasma era o responsável pelo controle financeiro do tráfico em diversas áreas, abrangendo cidades como Campinas, Piracicaba, Araraquara, São Carlos, Vale do Paraíba, Bauru, Sorocaba, Ribeirão Preto, Araçatuba e Presidente Prudente.



Durante as investigações da Operação Onça Preta em Jaguariúna, a polícia encontrou na casa do casal R$ 135.678,00 em pacotes com nomes de comparsas, além de três livros sobre a história da facção criminosa. Quatro outros membros do grupo também foram presos. A esposa de Fantasma foi acusada de contratar um hacker para destruir dados armazenados em celulares.


Além disso, os rendimentos declarados do casal foram confiscados por ordem judicial, incluindo veículos de luxo como Jaguar, Audi, Land Rover e um Jeep Compass.


O Ministério Público do Estado de São Paulo denunciou à Justiça outros oito integrantes da quadrilha, que agora enfrentam acusações de organização criminosa, associação criminosa, tráfico de drogas e embaraço de investigações envolvendo a organização criminosa.


Em Jaguariúna, Fantasma era o patrono do time de futebol "Fantasma do Morro," que participava de diversos campeonatos amadores e conquistou vários títulos. Segundo as autoridades, essa atividade esportiva servia como fachada para lavagem de dinheiro ilícito.


A prisão do procurado e de sua esposa é um desdobramento da Operação Onça Preta, que visa combater o crime organizado e o tráfico de drogas, especialmente na cidade de Jaguariúna. A operação já resultou em prisões, apreensões de drogas, armas, veículos de luxo e dinheiro em espécie. As investigações continuam no combate ao Primeiro Comando da Capital e ao tráfico de drogas na região de Jaguariúna.


Reportagem: Susi Baião

Commentaires


bottom of page