top of page

De Jaguariúna para o Mundo: Arlindo Baião Junior é o 3º Melhor do Mundo no Campeonato Mundial Master

Atualizado: 19 de out. de 2023

Reportagem: Susi Baião


O Jaguariunense Arlindo Baião Junior, 32 anos, conhecido como Juninho,


conquistou a medalha de bronze na categoria Master 1, faixa preta meio pesado, no Campeonato Mundial Master de Jiu-Jitsu organizado pela IBJJF (International Brazilian Jiu-Jitsu Federation) em Las Vegas.


O Campeonato Mundial Master de Jiu-Jitsu é uma das competições mais prestigiadas no mundo do Jiu-Jitsu, atraindo atletas de todo o planeta. A edição deste ano ocorreu nos dias 31 de agosto e 1 e 2 de setembro, e fez história com a participação de mais de 10 mil atletas inscritos, incluindo mais de 2 mil faixas pretas. A competição contou com alguns dos maiores nomes do esporte, tornando a conquista de Juninho ainda mais notável.


Sua jornada começou aos 12 anos, e após duas décadas de dedicação e treinamento incansável, ele teve finalmente a oportunidade de competir em um Campeonato Mundial de Jiu-Jitsu. No entanto, devido aos custos de viagem e aos desafios com vistos, ele nunca havia

tido a oportunidade de participar de uma competição como essa. Direto de Colorado, nos Estados Unidos, ele falou com nossa reportagem.


Ele expressou seu contentamento por finalmente ter a oportunidade de competir em meio aos maiores atletas da história do Jiu-Jitsu.


Sua categoria, a Master 1, meio pesado, era composta por 45 atletas, incluindo vários campeões internacionais e campeões mundiais. No início, sua meta era vencer pelo menos uma luta, mas ele encarou cada combate como se fosse a final do mundial, um passo de cada vez. Esse comprometimento o levou até a semifinal, onde ele conquistou a 3ª colocação, garantindo a medalha de bronze.


Juninho refletiu sobre essa conquista monumental em sua carreira no Jiu-Jitsu.

'Esse é o maior título que conquistei em minha carreira no Jiu-Jitsu e o maior já conquistado por um jaguariunense. Nunca imaginei que um dia conseguiria participar de um campeonato mundial nos Estados Unidos e muito menos que eu ficaria entre os 3 melhores atletas do mundo em minha categoria' contou o atleta.


Em uma nota de agradecimento, Juninho expressou sua gratidão a todas as pessoas que o acompanharam em sua jornada no Jiu-Jitsu ao longo de 20 anos. Ele destacou seu primeiro professor, Cristiano Cecon, que o introduziu ao esporte e treinou-o até a faixa roxa. Ele também homenageou o professor Adriano Pires, que o formou como faixa preta, e o professor Rodrigo Marino, que o conduziu à faixa preta de Judô e foi uma influência crucial em seu caminho.


Seu sucesso é um testemunho de sua dedicação, paixão e trabalho árduo ao longo das duas décadas de sua jornada no Jiu-Jitsu. Sua conquista não apenas eleva o nome de Jaguariúna no cenário internacional do esporte, mas também inspira jovens atletas a perseguirem seus sonhos com determinação e comprometimento.


Juninho é motivo de orgulho não apenas para sua cidade natal, mas para todos que acompanham o mundo do Jiu-Jitsu. Seu comprometimento e paixão pelo esporte o levaram a conquistar o terceiro lugar no Campeonato Mundial Master de Jiu-Jitsu em Las Vegas, provando que, com dedicação e trabalho árduo, não há limite para o que se pode alcançar.


Kommentare


bottom of page