Ação preventiva e repressiva contra o tráfico doméstico é realizada no centro de Cuiabá


Uma ação preventiva e repressiva contra o comércio e uso de drogas, na região central de Cuiabá, foi realizada na tarde desta quarta-feira (06.02), pela Polícia Judiciária Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão de Entorpecentes (DRE), Vigilância Sanitária de Cuiabá, e Secretaria de Mobilidade Urbana  e Secretaria de Ordem Pública da Prefeitura de Cuiabá. A ação contou com apoio operacional da Gerência de Operações Especiais (GOE).
O delegado titular da DRE, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, informou que o houve uma demanda do Ministério Público Estadual e também havia denúncias na Especializada sobre o comércio de drogas em quatro bares e uma loja de venda e compra de ouro, na localidade conhecida por “Beco do Candeeiro”.
A localidade, assim como outras áreas da região central, também concentra ocorrências de furtos, invasão de prédios abandonados. “Iniciamos hoje uma série de ações que devem continuar nessa região com foco no tráfico doméstico, uso de drogas e outros delitos”, disse o delegado.
Durante a ação, foram abordados cerca de 60 usuários de drogas, incluído pessoas com tornozeleira eletrônica, recém-saídas do Sistema Penitenciário. Os policiais cumpriram cinco mandados de buscas nos estabelecimentos, no entanto, não foram encontrados drogas, somente petrechos de uso de entorpecentes como isqueiro e cachimbo.
O delegado Vitor Hugo enfatizou que o trabalho deverá ser ampliado com convite para participação de outras delegacias, como a Delegacia Especializada de Defesa da Criança e do Adolescente (Deddica), Juizado da Infância, Corpo de Bombeiros, Juizado da Infância e Juventude.
“O objetivo é minimizar os danos aos comerciantes, visando à repressão ao tráfico doméstico de drogas, já que esse tráfico vem movimentando a prática de crimes patrimoniais, dos furtos e roubos”, finalizou o delegado.
A Secretaria de Mobilidade Urbana e Secretaria de Ordem Pública da Prefeitura de Cuiabá notificaram estabelecimentos que estavam com alvará irregular.

PJC

Nenhum comentário