Aposentados denunciam venda de produtos de massagem

Várias pessoas procuraram a unidade do Procon, de Tangará da Serra nesta Quinta Feira, para formularem queixa sobre a compra de massageadores eletrônicos.

Segundo os consumidores a reclamação refere-se ao preso do produto, que teria sido vendido com preços bem acima da realidade de mercado.

Todas as pessoas ouvidas por nossa equipe  relataram que trata-se de um produto de boa qualidade, e apresenta bons resultados, porém o preço está muito alto em comparação ao mesmo produto vendido no comércio local..

A maioria das pessoas que compraram os massageadores  são idosas e aposentadas, e alegam não tem condições de pagar a divida,  que em alguns casos chega a 1950 reais

Dona Maria Aparecida que também comprou o massageador, disse que os vendedores foram simpáticos e gentis, chegando a jantar na casa com  família.

A negociação segundo ela foi feita na presença do marido, que só percebeu que algo estaria errado no outro dia, quando foram alertados por alguns amigos.

O contrato assinado na compra do produto  é no valor de 1800 reais,  dividido em 12 parcelas de 150 .

A dona de casa que não está bem de saúde, disse que procurou o Procon para encontrar uma solução que seja boa para ambas as partes.

Comprei o aparelho e gostei, mas não posso assumir um compromisso  que não seja de acordo com a realidade, finalizou a dona de casa que se mostrou muito preocupada, em sujar seu nome.
O maior número de pessoas que compraram o massageador, reside na zona rural.

Nós tentamos ouvir os responsáveis pela empresa a respeito do assunto, mas nenhum dos telefones que consta no referido contrato atendeu as nossas ligações.

De acordo com o Procon, todas as providências estão sendo tomadas, no sentido de resolver o problema.

Segundo Rossano Ferrari Coordenador da Unidade, uma Ação coletiva será feita e encaminhada ao ministério publico estadual, um dos itens levantados pelo coordenador do Procon, refere-se a ausência da nota fiscal , após o fechamento do negócio eles deixavam apenas a cópia do contrato disse o coordenador.
Numa cotação feita no comercio local, encontramos aparelhos semelhantes e com valores que chegam a 140 reais, dependendo da marca.
O espaço fica aberto para que os responsáveis se manifestem a respeito das reclamações feitas junto ao Procon.





Nenhum comentário