Relatório aponta falta de combustível como causa de acidente aéreo que matou médico tangaraense

A falta de combustível foi apontada como a possível causa da queda de um avião em Rio Preto, que matou três pessoas em outubro de 2017. A informação foi divulgada em relatório preliminar elaborado pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), baseado em indícios buscados no local do acidente. Segundo informações do G1, a investigação ainda não foi concluída.

“Nós temos um manual de investigação e todas as informações coletadas são cruzadas, onde o acidente é classificado”, contou ao portal a tenente Cândida Schwaab, da Força Aérea Brasileira (FAB). De acordo com ela, as informações do reporte preliminar que refere a "pane seca" ainda são superficiais e coletadas a partir das evidências do acidente, como testemunhas e análises da fuselagem da aeronave. 
A Força Aérea Brasileira também divulgou através de nota que o objetivo da investigação realizada pelo Cenipa é prevenir que novos acidentes com características semelhantes ocorram. "A necessidade de descobrir todos os fatores contribuintes garante a liberdade de tempo para a investigação. A conclusão de qualquer investigação conduzida pelo Cenipa terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade do acidente”, afirma o comunicado.

Entenda o caso
Na manhã de segunda-feira, em 9 de outubro de 2017, um monomotor de prefixo PT-DDB, partiu de Tangará da Serra (MT) com destino a Rio Preto. A aeronave caiu a cerca de 300 metros do aeroporto, devido a circunstâncias ainda desconhecidas.

Com o impacto da aeronave,que se chocou "de bico" no quintal de uma residência, morreram o piloto William Rayes Sakr, de 58 anos, o médico Allyson Lima Verciano, de 33, e o empresário Caique Caciolato, de 25 anos. 

Nenhum comentário