Policia Civil desvenda o crime da Picareta, um adulto e um menor confessaram o crime.


Lucas Nascimento da Silva foi preso na manhã desta Quinta Feira(08), por uma equipe da Policia Civil, mediante a um mandado de prisão expedido  pela comarca de Tangará da Serra.
Lucas estava escondido no assentamento Nossa Senhora Aparecida, na casa dele os investigadores encontraram uma espingarda calibre 16, cano Serrado que pode ter sido usada em outros crimes.
Assim como Lucas , o menor de 17 anos também confessou participação no crime, ocorrido  na madrugada do dia 29 de  Janeiro no Jardim Santa Lucia.
Segundo os investigadores, os suspeitos entraram na casa pela janela do banheiro, já dentro da residencia eles pediam dinheiro e jóias, além disso  xingavam e espancavam o casal.
De acordo com a PJC, Lucas já tentou matar uma pessoa durante um  assalto praticado numa padaria, a vitima foi esfaqueada.


Relembre o Caso 

O proprietário da residência invadida foi agredido com golpes de picareta e ficou inconsciente, já a sua esposa também foi brutalmente agredido, quebrou os dentes e apresentava muitos ferimentos na cabeça. Os três filhos do casal que se encontravam na casa, não foram agredidos.
Do local, os ladrões levaram celulares, dinheiro e fugiram em seguida. Um carro e moto pertencente ao casal, não foram levados.  A polícia quando chegou ao endereço, encontrou a casa com marcas da violência e muito sangue na cama do proprietário do imóvel.O homem foi socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhado a uma unidade hospitalar da cidade. A mulher muito ferida, também foi encaminhada ao hospital.
A picareta usada na agressão foi deixada no imóvel com muito sangue. A Polícia Civil passa a investigar o caso. Até o momento nenhum suspeito foi preso ou identificado.

Segundo Walmir Castrilon, chefe de investigações da Policia Judiciaria Civil, a prisão dos suspeitos se deu após muito trabalho da equipe.
O primeiro passo para desvendar o caso, foi  a interceptação das conversas telefônicas com autorização da justiça, já que os envolvidos teriam levados telefones celulares das vitimas.
Para o Policia Civil a resposta foi dada o mais rápido possível .
A preocupação agora é com o menor  que poderá ser liberado em no máximo cinco dias, se o estado não encontrar uma vaga para internamento.
















Nenhum comentário